Gestão de equipes: conheça os 5 desafios e aprenda a superá-los

Gestão de equipes: conheça os 5 desafios e aprenda a superá-los

A gestão de equipes, no passado considerada uma responsabilidade restrita ao Departamento de Recursos Humanos, atualmente tornou-se uma missão de toda e qualquer liderança das empresas.

Ser um bom líder é gerir pessoas de maneira eficiente, função que é considerada um desafio para muitos executivos que ocupam cargos de comando.

As lideranças precisam saber como agir em relação aos colaboradores, para que a atuação deles seja eficaz e produtiva.

A gestão de equipes possui tamanha importância que as empresas têm dedicado parte de seu orçamento na formação de líderes internos, que sejam capazes de manter seus times engajados e aumentar a produtividade individual e coletiva.

Para compreender qual é o nível de problema na gestão de equipes da sua empresa, questione-se:

  • Os membros da equipe de forma aberta e prontamente divulgam suas opiniões?
  • As reuniões de equipe são convincentes e produtivas?
  • Será que a equipe chega a decisões rapidamente e evitam encalhar por consenso?
  • Os membros da equipe confrontam as suas opiniões?
  • Os membros da equipe sacrificam seus próprios interesses para o bem da equipe?

Se você respondeu “não” para muitas dessas questões, talvez seja a hora de rever o seu trabalho com a gestão de equipes!

Para te auxiliar nessa jornada, separamos os 5 principais desafios da gestão de equipes e as melhores alternativas para superá-los. Vamos lá?

As cinco disfunções que afetam a qualidade da gestão de equipes

Patrick Lencioni explica em seu livro, “Os 5 desafios das equipes” (2015), a importância do trabalho em equipe para a geração de resultados palpáveis para as organizações.

Segundo o autor, o primeiro passo para reduzir a confusão política dentro de sua equipe é entender que há cinco disfunções básicas para enfrentar. E derrubá-las é o que irá garantir a sobrevivência da sua empresa!

Através de um desenho gráfico de uma pirâmide, o autor demonstra quais são as cinco disfunções e sua posição no modelo.

Da base ao ápice da pirâmide, são apresentadas as mencionadas disfunções, que podem ser consideradas os 5 maiores desafios da gestão de equipes:

  • Ausência de confiança

A falta de confiança ocorre quando os membros da equipe ficam relutantes em se mostrarem vulneráveis uns para os outros e não estão dispostos a admitir seus erros e fraquezas.

Sem um nível de conforto entre os membros da equipe, construir uma base de confiança para otimizar a produção torna-se impossível.

  • Medo do conflito

A partir da ausência de confiança, as equipes são incapazes de engajar-se em um conflito acalorado para discutir questões latentes a empresa em uma reunião.

Em vez disso, os conflitos apresentados aos membros facilmente se transformam em discussões veladas, com comentários mecanizados e nada entusiasmados!

Isso atrapalha o surgimento de ideias coletivas que são capazes de aprimorar a produção e os processos internos.

  • Falta de comprometimento

Sem as discussões entusiasmadas diante dos conflitos internos e sem serem capazes de expor suas opiniões, os membros deixam de se comprometer com as decisões aparentemente tomadas em conjunto.

Isso gera um ambiente de trabalho onde a ambiguidade prevalece e não há uma decisão clara de funções.

  • Perda de responsabilidade

Sem comprometimento da equipe com um plano de ação claro, mesmo os membros mais focados normalmente hesitam em chamar atenção de seus pares para ações e comportamentos que pareçam contra produtivos para a equipe.

  • Desatenção aos resultados

A desatenção para os resultados ocorre quando os membros da equipe colocam suas necessidades individuais – como o reconhecimento pessoal e o desenvolvimento de sua carreira –  ou até mesmo necessidades de seus setores acima dos objetivos coletivos.

Se o pensamento coletivo se perde, o comprometimento com a geração de resultados diminui.

As cinco disfunções que afetam as gestões de equipes são, como você podem perceber, são ações encadeadas.

Um problema é capaz de gerar outros, que são letais para o comprometimento e a produtividade da equipe.

Logo, gerar esforços para criar uma equipe coesa e funcional é uma possibilidade disponível à qualquer organização e um importante diferencial de mercado.

Equipes funcionais e ativas não perdem tempo discutindo questões pouco práticas e evitam revisitar temas já solucionados. Isso é essencial para otimizar os resultados!

Como superar as cinco disfunções e otimizar a gestão de equipes?

Investir esforços na gestão de equipes é fundamental para aumentar os resultados da empresa sem precisar fazer novos investimentos em pessoal e tecnologia.

Confira as melhores ações para superar as cinco disfunções das equipes:

Estimule a confiança

A prática do feedback é muito relevante para apontar os pontos de melhoria para os colaboradores e estimulá-los a continuar potencializando suas qualidades.

É papel do líder mostrar aos membros do time suas forças e fraquezas. Isso é essencial para que os colaboradores estejam em constante melhoria e, assim, aumentem seu nível de produtividade.

O feedback é a melhor estratégia para estimular o diálogo entre gestores e colaboradores e, assim, gerar uma relação de confiança.

Sentimento de time

Equipes ágeis são aquelas nas quais os membros se empenham juntos na resolução de atividades como definições de trabalho, tomadas de decisão e apresentação para os clientes.

Por isso, é fundamental que a sua equipe tenha o sentimento de time. Para isso, é essencial que todos saibam quais são os objetivos da empresa.

As metas da organização precisam ser divulgadas aos colaboradores após a criação do planejamento estratégico do negócio.

A partir daí, é preciso que sejam definidas em conjunto as metas individuais e as metas coletivas. Esses dados precisam ser atualizados com frequência, já que é comum ocorrer alterações na economia, no mercado e nas demandas da empresa.

Metas individuais e/ou por setor servem para mostrar como o trabalho de cada membro das equipes é fundamental para o cumprimento das estratégias da organização.

Otimize a comunicação

Uma das principais estratégias para melhorar o engajamento de uma equipe é demonstrando que os colaboradores são parte importante da empresa. Para isso, busque compartilhar notícias, novidades e conquistas.

A comunicação também é extremamente importante para a eficácia da produção. Um colaborador precisa entender o status da produção da equipe, a fim de garantir que seu trabalho esteja alinhado com a promessa do grupo e as necessidades da empresa.

Falhas de comunicação geram retrabalho e, consequentemente, perda de tempo e de recursos!

Por isso, aposte em reuniões de balanço mais objetivas, em que todos tenham vez para falar e uma plataforma de comunicação integrada.

Gestão de tarefas

Para aumentar o comprometimento e a responsabilidade com a entrega das tarefas, aposte em um software de gestão de tarefas.

Esses sistemas dão transparência sobre o andamento das atividades e o valor entregue, reduzindo a possibilidade de falhas e esquecimentos.

A gestão de tarefas permite uma gestão de equipes mais eficiente, já que com essa ferramenta é possível que todos conheçam a evolução das atividades.

Assim, é possível saber quanto falta para que o grupo atinja suas metas e permite que um colaborador ofereça ajuda ao outro em casos de dificuldade. O controle das atividades pelo gestor também é otimizado!

Gerenciamento do tempo

Saber aproveitar o tempo disponível para a produção é uma disciplina essencial na gestão de equipes!

Times sobrecarregados – ou seja, que possuem mais tarefas a desempenhar do que tempo disponível – atrasam as suas entregas e se sentem desmotivados.

Além disso, a gestão do tempo facilita o acompanhamento do nível de produtividade coletiva e individual, o que é um excelente indicador na hora de formar times para desenvolver um projeto específico.

Promover a gestão de equipes na sua empresa é muito fácil com cuidados simples e diários como os que mostramos.

É claro que uma equipe que se dá bem gera melhores resultados. Por isso, na hora de recrutar novos colaboradores, busque reconhecer profissionais que sejam adequados à cultura da empresa e ao perfil do time de trabalho.

reduza o churn

Comentários

comments

Próximo Post
Post Anterior
Esse Post Foi Escrito Por
Rafael Fialho Teixeira

Rafael Fialho Teixeira é responsável pela estratégia de Negócios na Desk Manager Software. Formado em TI e especialista em Gestão de Serviços, ITSM, ITIL, Cobit e Customer Success. Acredita que as empresas que não empregam todos os seus esforços para atender seus clientes da melhor forma e com a melhor qualidade estão fadadas à ruína e ao fracasso.